Parceria entre COOPERBAC E BAHIATER

A agricultura constitui historicamente um segmento de grande importância para a economia brasileira. No desenvolvimento econômico brasileiro, frequentemente, um produto agrícola ocupou papel vital na sustentação da economia nacional. As atividades agrícolas, durante séculos, foram realizadas de forma rudimentar, com pequena inovação tecnológica. A partir da década de 1960, a agricultura começou passar por rápidas transformações impulsionada por políticas públicas, entre as transformações temos a Assistência Técnica como referência a Inovação Tecnológica..

A agricultura familiar no Brasil, tem papel relevante na produção de produtos agrícolas da alimentação básica da população brasileira, como o café, arroz, feijão, etc.

Levando em consideração essa importância da Assistência Técnica Rural – ATER para a Agricultura Familiar, a COOPERBAC buscou junto ao BAHIATER, Órgão ligado à Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia – SDR, uma parceria de Cooperação Técnica entre a COOPERBAC e a Bahiater. Atendendo a essa solicitação importante para a Cadeia Produtiva do Café, O Governo do Estado através do Bahiater nos disponibilizou o Engenheiro Agrônomo Gabriel Fernandes, Especialista nesse segmento para o auxílio no desenvolvimento e implementação dos projetos de Desenvolvimento Econômico Sustentável, inclusive com relação a produtividade de cada produtor e do resultado da comercialização das lavouras.

Estamos recebendo atendimento Técnico de Gabriel Fernandes toda Quinta feira na sede da Cooperbac. Fernandes iniciou seu trabalho na Cooperativa a um mês e já realizou várias emissões e renovações de DAPs Fisicas. A DAP é o documento de identificação da agricultura familiar e pode ser obtida tanto pelos agricultores familiares (pessoa física), quanto pelo empreendimento familiar rural. A declaração é totalmente gratuita e, além dos agricultores familiares, pode ser obtida por pescadores artesanais, aquicultores, maricultores, silvicultores, extrativistas, quilombolas, indígenas, assentados da reforma agrária e beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). Além desse importante serviço, Gabriel Fernandes está nos auxiliando na Implantação de dez Campos Tecnológicos que faz parte do Projeto Bahia Produtiva /Fruticultura do Governo do Estado, do qual a Cooperbac recebeu investimento Financeiro para instalar Unidades de Secagens de Café e Despolpadores (na zona rural); Maquinas de Empacotar a Vácuo e Expresso, Laboratório de Prova de Café, Formação de Jovens para trabalho no laboratório, Instalação de Software, Desenvolvimento de Marcas. Esse projeto irá verticalizar a produção com inserção de Inovações Tecnológicas e aumentar a comercialização, pois a Cooperbac estará equipada para atender a exigências dos clientes. Nas etapas de execução do projeto estão previstos a instalação e acompanhamento de Campos de Demonstração que visa implantar variedades que possam se adaptar ao as situações Climáticas do municípios e serem resistente a algumas pragas. As cultivares utilizadas são Guará, Tupi 125 RN desenvolvidas pelo IAC, Catucaí Amarelo 24/137, Acauã Novo, Sarchimor MG 8840, Azulão, Aranas, IPR 199, Paraiso MGs2, . O Técnico do Bahia ATER está nos auxiliando desde quando a busca dessas variedades até a implantação das plantas na propriedades. As variedades vieram do Estado de Minas Gerais e já passaram por profissionais para as devidas análises, em seguida foram levadas pra câmaras frias para aguardar o plantio no viveiro, que foi feito no mês de Dezembro de 2018 no Viveiro renomado do município de Barra do Choça de propriedade do viveirista  Jaimilton Souza, o Viveiro Catuaí, que é uma referência no ramo de produção e comercialização de mudas de café, devidamente registrado no Ministério da Agricultura, dispõe de um rigoroso acompanhamento técnico. Com todo o trato explicitado, essas plantas poderão ser levadas para o campo na próxima semana e o técnico irá auxiliar os produtores que irão receber essas novas variedades com conhecimento técnico para o bom desenvolvimento das plantas, ajudar com o manejo do solo, plantio, combates a pragas que essas variedades não são resistentes. Gabriel Fernandes também vai analisar o cultivo e oferecer respostas para os problemas que podem aparecer, aplicando soluções precisas, eficientes e economicamente viáveis.

Em termos gerais, essa parceria é importantes para que juntem-se esforços em projetos multidisciplinares e desenvolvam-se outras tecnologias inovadoras para a região, naturalmente caracterizada por problemas climáticos e algumas vezes solos de baixa fertilidade. Entre as principais tecnologias é importante o destaque do uso cultivares melhoradas resistentes à ferrugem, que trazem a vantagem de reduzir custos com a aplicação de defensivos, diminuindo o impacto ambiental.

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.